O que eu faço no Chile, afinal?

Bastante gente me faz essa pergunta, então acho que já passou da hora de eu contar um pouco a respeito do que, afinal, eu faço aqui no Chile (além de comer pra caramba e tirar um monte de fotos hahaha), com que eu trabalho e etc. Então, vamos lá.

Antes de tudo, a pergunta que não quer calar: “Luiza, você viaja de graça?” hahaha. Não gente, infelizmente eu não viajo de graça, nem sou paga para viajar, mas sim, eu trabalho com turismo (também)!

Pra quem não sabe, faço parte do time da Plurality Global Institute, um instituto de idiomas e intercâmbios daqui do Chile. Decidi contar um pouco mais da Plurality aqui pra vocês pra matar um pouco a curiosidade de alguns sobre “o que eu faço aqui” e também servir como dica, pois sei que a maior parte dos seguidores é bem fã do Chile e de Santiago e doido pra vir conhecer ou matar a saudade desse lugar sensacional <3.

Nós trabalhamos basicamente com tudo o que você precisa para passar um período legal e ainda aprender espanhol aqui no Chile (também temos cursos de inglês e Português, mas considerando que meus leitores são, em maioria, brasileiros, melhor focar no Espanhol, ok? Qualquer dúvida que tiverem podem me escrever!).

Por exemplo, se você vai tirar férias, quer viajar e ainda aprender outro idioma, temos cursos intensivos de espanhol já com passeios turísticos e culturais com guias locais e brasileiros (nos primeiros dias é bom alguém que fale a língua da gente caso precise né) pra te levar conhecer Santiago e arredores enquanto pratica o espanhol.

Eu sei que vão achar que tô “puxando a sardinha” pro meu lado hahaha mas garanto que fazemos nosso trabalho com o maior amor possível e uma qualidade sem comparação! Fui cliente da Plurality quando mudei pra cá e podem ter certeza de uma coisa, não entraria pro time se não acreditasse na qualidade, eficiência e profissionalismo A equipe pedagógica tem mais de 20 anos de experiência nos três idiomas, o que facilita muito pra nossa (falo como aluna) aprendizagem, uma vez que é bem mais fácil aprender um idioma novo com um(a) professor(a) que também conhece muito bem o nosso.

“Você dá aulas de português?” é outra pergunta que recebo muito de todo mundo pra quem eu conto onde trabalho. Não, eu não sou professora. Admiro e respeito muito a profissão e, justamente por isso, não acho que eu tenha “dom” nem formação suficiente para isso. Como eu costumo dizer, “deixo essa parte pra quem sabe o que está fazendo” e posso garantir que a equipe pedagógica sabe MUITO bem hahaha. Mas se vierem pra cá, muito provavelmente serei eu quem vai ajudar vocês com a hospedagem, os passeios e até as passagens aéreas se precisarem, ok?

Ah, sabe esse monte de fotos de lugares incríveis que eu vivo postando? Pode deixar que a gente leva vocês pra conhecer! Inclusive, vários desses lugares são parte de passeios já incluídos nos cursos, ou seja, você não paga nada a mais por eles! Legal né?

Não vou ficar aqui contando cada detalhe sobre os cursos e as opções de pacotes disponíveis pra não deixar o post tão grande, mas posso montar outro mais completo depois se quiserem, principalmente contando como foi a minha própria experiência com a Plurality quando cheguei em Santiago!

Deixo pra vocês o site e todas as redes sociais da Plurality! Podem encher a gente de perguntas (em português mesmo) que teremos o maior prazer em responder! Inclusive, fica o convite para virem conhecer nossa ‘oficina‘ (oficina é escritório em espanhol, pra quem tiver curiosidade) quando quiserem! Mandem uma mensagem em qualquer contato (inclusive no Whatsapp) e marcamos um horário pra receber todo mundo!

Página web: http://pluralityglobal.com/ (Caso seu navegador te direcione para o site em espanhol, é só clicar no ícone de Português no canto superior direito, ok?

Facebook: Plurality Global Institute (@pluralityglobal)

Instagram: @pluralityglobal

Whatsapp: +56 9 4532 9494

E-mail de contato: info@pluralityglobal.com

Fico esperando o contato e a visita de todo mundo! São todos muito bem vindos!

Um abraço a todos,

Luiza

Pucón: Como chegar e onde dormir

Desde que voltei de Puerto Varas, andava me coçando pra ir pro sul do Chile de novo. Aí que, no fim de semana passado, me deu o “cinco minutos” e parti pra Pucón.

Bienvenidos a Pucon 😍🏔 #mueveteporchile #turbus #dizlu🇨🇱

A post shared by DizLu 🗺 (@dizlu) on

Nesse post, teremos um resumo de como chegar lá e uma dica de hospedagem (que foi a que eu usei), ok? Então vamos lá.

Como chegar em Pucón?

Voando

Vou tentar fazer disso o passo a passo mais simples e resumido possível, ok?

  1. Vôo de Santiago a Temuco: via LAN ou SkyAirline, dura cerca de 1h30min. Recomendo consultar as tarifas referentes a data em que pretende viajar. Não tive como incluir isso no post pois a variação de preços é muito grande.
  2. Transfer do aeroporto ao terminal de ônibus: Infelizmente nesse ponto não poderei ajudar muito. Só posso confirmar que há táxis e o trajeto é de aproximadamente 14 km.
  3. Ônibus de Temuco a Pucón: A empresa mais barata e que oferece mais horários é a JAC. O trajeto leva 2h e custa cerca de $ 2200 pesos chilenos.
IMG_20160507_102414536
Você percebe que a viagem vai ser boa quando sai da rodoviária e dá de cara com um vulcão (e acha até o supermercado fofinho *.* haha)

Busão amigo

Como vocês já devem ter percebido, sou uma grande usuária de serviços amigos de busão hahaha. Assim que, fui de ônibus de novo. Sim, são quase 800 km, demorou uma vida (rolou ônibus atrasado, trânsito infernal e tudo o que se tem direito quando metade da cidade está protestando nas ruas, mas isso é uma outra história). Porém, custou $ 25000 pesos chilenos, fui direto, e viajei a noite toda (o que economiza uma diária de Hotel/Hostel).

Viajei de Turbus, que é uma das empresas mais caras daqui e que tem o serviço mais meia boca. Pra vocês terem ideia, não tinha nem água no ônibus. Na volta, saí de Osorno (uma cidade que fica a mais de 1100 km de Santiago), a viagem custou BEM mais barato, sendo que comprei assento leito (quase mais confortável que minha cama) e teve até jantinha no busão. Tudo isso viajando de BusNorte. Só tem um probleminha: Santiago-Pucón direto é um trecho meio limitado e, que eu saiba, só feito por algumas empresas, entre elas Turbus e Condor.

Onde se hospedar em Pucón?

Fiz aquela busca amiga no Booking.com, e encontrei o fofinho Pucontours Hostal. É um Hostel simples, mas super aconchegante e gostosinho, sabe? Daqueles que você se sente em casa. Dêem uma olhada no link e nas fotos pra conhecerem melhor, ok?

Pucontours Hostal Pucon DizLu Blog
Pucontours Hostal belezinha

A única observação a respeito é: fiquei duas noites, uma num quarto double e uma num single. Caso se hospedem lá, não optem pelo single. a diferença de preço é mínima e a qualidade é BEM diferente (além de ele ter uma janela não muito bem vedada que não contribuiu em nada para que eu dormisse bem naquela friaca que fazia). O double é perfeito, não deixou a desejar em absolutamente nada.

O legal é que eles têm vários convênios com agências de turismo também, então você pode contratar os passeios de lá mesmo, sem nenhuma dor de cabeça.

Plaza de armas de Pucon ❤🏞 #VisitChile #FridayPhotoFanChile #dizlu🇨🇱

A post shared by DizLu 🗺 (@dizlu) on

É pessoal, o triste é não poder ficar pelo menos um mês lá haha. Bom, me despeço por aqui, mas em breve teremos post com os passeios que fiz por lá e os lugares maravilhosos que vi, então espero vocês por aqui.

Enquanto isso, acompanhem o instagram do blog, que está cheio de fotos pra dar vontade de viajar ^^, e o Snapchat (é diz.lu), onde eu passei vergonha na viagem tentando aprender a usar hahaha.

Beijos e até!

PS: Todas as reservas do Booking.com feitas pelos links nos posts ou pela caixinha de pesquisa na lateral, geram uma pequena comissão para o Blog (quando eu digo pequena, são centavos mesmo haha), então agradeço MUITO a todos que reservarem suas hospedagens por aqui, pois vocês pagam exatamente o mesmo valor e me deixam super felizinha por poder engordar um pouco meu porquinho 🙂 haha.

Santiago em dois dias – o que fazer?

E aí, bonitinhos? Como vão vocês? Que bom que tudo bem! haha

Bom, desde que me mudei para Santiago, alguns amigos já vieram me visitar e muitos outros dizem que têm vontade ou estão se planejando. Além disso, amigos dos meus pais e tios com viagens marcadas têm me perguntado sobre algumas dicas e sugestões de roteiros. Assim, decidi montar roteirinhos resumidos pra tentar ajudar quem vem visitar essa coisa linda que é o Chile.

Vamos começar por um roteiro express espremido num final de semana, com base na viagem que um casal de amigos fez no mês passado (oi, Má e Dai! :D). Eles haviam comprado um pacote turístico para chegar em Santiago na sexta à tarde e voltar para o Brasil na segunda pela manhã. Assim, tudo tinha que ser bem encaixadinho pra que pudessem aproveitar o tempo ao máximo.

A primeira parada (depois de passar no hotel e ajeitar a bagagem e a si próprios haha) foi o Hard Rock Café, que fica dentro do Mall Costanera (meu shopping preferido em Santiago *-*, sobre o qual falarei em breve). Estávamos os três mortos, então a pedida tinha que ser mesmo algum restaurante/pub/barzinho. Pra quem pretende fazer mais ou menos o mesmo roteiro, outras opções são o Patio Bellavista (praticamente uma galeria de bares e restaurantes) e a Plaza Ñuñoa (não tão visitada pelos turistas, mas também um apanhado de barzinhos muito interessante).

IMG-20160415-WA0010
Porque a vista da Cordillera no verão também é linda <3

No dia seguinte, eu parti pra minha aula de espanhol, faxinas e etc, e Má e Dai foram passear. São várias as opções pra quem quer fazer passeios turísticos em Santiago. No caso deles, optaram por um motorista particular, e conseguiram visitar a Cordillera pela manhã, Cerro San Cristóbal perto da hora do almoço e a vinícola Concha y Toro à tarde.

IMG-20160415-WA0003
Concha y Toro

Sábado à noite chegaram tão mortos que não aguentaram acharam melhor descansar haha. No domingo, saímos passear no centro. Passamos pela Plaza de Armas e a Catedral Metropolitana, e visitamos o Museo de Arte Precolombino, que também fica ali pertinho, no centro mesmo.

museo
Museo de Arte Precolombino

Almoçamos no La Piccola Italia, no centro mesmo, que é um restaurante italiano DELÍCIA, demos mais uma andadinha, e acabou-se o dia.

IMG_20160313_192254496
Felizes de panças cheias haha

A ideia desse post não é fazer com que, quem quer que venha por só um final de semana, faça exatamente esse roteiro, e sim mostrar que é possível conhecer vários lugares, mesmo que em pouco tempo, então vamos ao resumo:

Dia 1 (Vôo chegando à tarde): O passeio à noite poder ser um restaurante ou barzinho legal. No nosso caso, o Hard Rock Cafe.

Dia 2 (Passeios turísticos): Visita à Cordillera pela manhã e vinícola à tarde. Você opta pela vinícola de preferência e, se der tempo, pode conhecer algum cerro, como o San Cristóbal, assim como fizeram o Má e a Dai. Dê uma olhada em alguns passeios no site da Turistik, é uma boa agência e tem muitas opções.

Dia 3 (Passeio na cidade): Falei aqui de passear no centro, pois é a região de Santiago com mais pontos turísticos, mas você pode mudar o bairro ou comuna, ok? Ao redor da Plaza de Armas, você em contra VÁRIOS museus e, se programar direitinho e marcar, da até pra conhecer o Palácio de la Moneda por dentro.

Dia 4 (Volta pra casa): Bom, segunda de manhã já é dia de voltar, então, sem passeios.

Bom, pessoal, espero ter ajudado quem estiver se programando pra conhecer Santiago. Se tiverem alguma dúvida ou sugestão, não exitem (que formal eu) em me escrever, seja nos comentários, no facebook ou no instagram, ok?

Beijos e até! ;*

Transporte em Santiago

Oláaa gente boniitaa! Como vão vocês?

O post de hoje é de utilidade pública, digamos (ou uma espécie de guia). Vim trazer um resumão dos meios de transporte disponíveis na cidade de Santiago pra tentar ajudar você, que vem passear por essas bandas, a não se perder e nem sair no prejuízo. Vamos lá.

meio de transporte dizlu

MetroSantiago

Ahhhh, o metrô, o tipo de transporte coletivo que se desloca sobre a linha tênue entre o amor e o ódio. Vou confessar, sou fã de metrô. Isso pode ser, em partes, devido ao fato de eu ser caipirona do interior e ter conhecido o metrô um tanto que tardiamente na vida. Mas, convenhamos, só o fato de não haver trânsito e nem engarrafamento já lhe dá um belo crédito.

metrosantiago 2016 dizlu

Falando de Santiago especificamente, as linhas de metrô funcionam muito bem e te levam à maioria dos pontos importantes da cidade. É perfeito? Não. Te leva para ABSOLUTAMENTE TODO lugar? Não MESMO. Mas, definitivamente, é meu preferido. Como vocês podem ver no mapa acima, as linhas ainda são um pouco limitadas (principalmente comparado à São Paulo, por exemplo), mas novas estão sendo construídas e a previsão é de ter uma rede muito mais abrangente até o final de 2017.

O site do metrô de Santiago é bem completo e, nele, você pode calcular o tempo do trajeto entre as duas estações que te interessam e ver explicadinho como você chega em determinada estação, pelo planificador de viagem (também é possível baixar um aplicativo de celular da MetroSantiago, não é lindo?) e consultar as tarifas vigentes aqui. Você pode comprar o passe único recarregável (tarjeta Bip!) ou individuais, não tem erro. No site e no twitter (@metrodesantiago) também informam a situação de cada linha (operante ou com qualquer problema).

metro santiago dizlu

Esteja atento: as linhas 2, 4 e 5 operam em Ruta Expresa nos horários de pico. Isso significa que o trem só para nas estações correspondentes a Ruta Verde ou Roja (vermelha), praticamente uma sim e outra não (consulte todas essas informações da seção Guia del Viajero, no site do Metro).

Ônibus

transantiago dizlu

O sistema de ônibus de Santiago também é bem completo e te leva a qualquer canto da cidade. No site da TranSantiago você encontra todas as informações que precisar, mas sendo sincera, use o Google Maps ou aplicativos similares. Eu sou uma pessoa cabeçuda (leia: não consigo decorar números e horários de ônibus com facilidade), então eu vou lá no meu Maps, coloco o lugar pra onde quero ir, e ele me fala quais linhas de metrô e/ou ônibus tenho que pegar, a que horas e quanto tempo demora. É maravilhoso. Pedi indicação dos chilenos e eles me disseram que usam o Maps, o Paraderos (app Chileno) e o Moovit (que ouvi dizer ser o melhor de todos) e alguns até te falam em quanto tempo seu ônibus vai chegar (sim, eu me impressiono fácil)!

tarjeta bip transantiago dizlu

Para tomar um ônibus aqui você precisa adquirir o passe único (tarjeta Bip!), e ele dá integração com o metrô, o que é ótimo (as passagens seguem o valor do metrô também, tá).

Táxis

Antes de qualquer coisa, cuidado com eles. Se tem uma coisa que a maioria dos taxistas de Santiago é, essa coisa é tranqueira, sem vergonha, ladrão, _______(insira seu palavrão aqui)___. Não gosto de generalizar, mas cara, é f*da. Na maioria das vezes o golpe se dá por um aparelho que adultera o taxímetro. O motorista vai apertando um botãozinho atrás do volante e a corrida sai BEM mais cara do que deveria. A solução que eu arrumei pra isso foi não pegar mais táxis na rua, somente chamando por aplicativo de celular. Eu uso o Easy Táxi e ele resolveu esse problema, pois os taxistas são de certa forma monitorados e podem ser avaliados pelos clientes. Use o app e você não passará raiva.

A foto acima é só de um táxi ilustrativo (mas me segue no instagram também, vai? :D).

Bom, pessoal, esses são os três principais meios de transporte dentro de Santiago. Farei outro post com dicas para quem quer transitar entre diferentes cidades ou chegar em pontos turísticos mais afastados. Estou reunindo contatos de motoristas particulares também, caso ajude.

Mais uma vez, estou à disposição para tirar quaisquer dúvidas e ajudar no que for possível. É só deixar um comentário aqui embaixo que eu respondo rapidinho! Siga o blog no instagram e curta a Fanpage, aí também podemos nos comunicar por lá! Pra quem curte o snapchat, estou me adaptando a ele ainda, então segue @diz.lu lá também e me ensina a mexer nesse troço, por favor! hahaha

Beijos e até mais! :*

Obs: a ideia é manter esse post sempre atualizado, então se tiverem mais informações também, podem me mandar, que eu incluo com os devidos créditos! Obrigada!

Estações de esqui de Santiago (no inverno)

Boooa noite gente bonita que está morrendo de calor!

Hoje, aproveitando o friozinho que já chegou em Santiago, vim falar um pouco sobre as estações de esqui que temos por aqui. A ideia é dar um panorama geral pra quem está na dúvida de quando, quanto e se vale a pena ir só para conhecer a neve (e não esquiar). Então vamos lá.

camino a cordillera Andes

Quando começa a temporada?

Antes de qualquer coisa, vale lembrar que as estações de esqui de Santiago funcionam durante o ano todo! Sim, até no verão, quando não tem neve (ainda farei um post sobre as atividades de verão, ok? Aguardem!). Porém, neste post, vamos focar no inverno.

parques de farellones santiago chile (4)

A temporada de esqui em Santiago geralmente vai de junho a setembro ou outubro. Porém, isso depende 100% das condições climáticas. Em 2015 mesmo, a temporada foi adiada para julho, por falta de neve. A estação El Colorado ainda deu seu jeitinho e produziu neve artificial pra não perder tanto tempo, mas o importante é ficar de olho na previsão do tempo (e nos sites e redes sociais das estações de esqui).

Como chegar lá?

Dá pra ir de carro? Dá. Vale a pena? Sinceramente, eu não iria. Em caso de nevascas, gelo no caminho, ou qualquer outro imprevisto com o qual não estamos acostumados, a estrada pode se tornar um tanto perigosa. Existem também algumas exigências para dirigir na montanha (como ter correntes dentro do carro para enrolar nos pneus em caso de gelo), então eu não arriscaria. Existem muitos tours que vão para lá e empresas que se dedicam a fazer esse transporte. Eu já fui com um tour da Turistik e com motorista particular. Se alguém precisar de contatos ou ajuda na reserva, me deixa um comentário que eu dou uma força no que precisarem, ok? 😉

Vale a pena se não for esquiar?

el colorado santiago chile
El Colorado e os esquiadores frenéticos

Essa é uma dúvida comum. Principalmente em relação ao Valle Nevado. Minha opinião pessoal: Valle Nevado é maravilhoso. Tem uma vista linda e é a mais alta das três principais estações, MAS (em maiúsculas mesmo) não acho que tem muito o que fazer lá se você não for esquiar.

valle nevado santiago chile (2)
Valle Nevado

Eu visitei as três e, sinceramente, acho Parques de Farellones a melhor opção se “você quer brincar na neveeeee”, e não vai esquiar. Mas, por que? Bom, lá há uma espécie de parque de atividades na neve. Tem tirolesa, tubing, passeio na silla panorámica (tipo um teleférico, no estilo daquele que eu fui no vulcão Osorno, lembra?), nosso querido ski-bunda (na neve, óbvio), ou seja, é bem mais divertido. E, caso você vá pra parte ‘baixa’ do parque (da pra chegar lá de carro, ou entrar pela estação e descer de telesilla-o que eu fiz), você pode se jogar no chão, fazer bonequinhos e ser uma criança feliz sem medo nem vergonha, o que é maravilhoso haha. Agora vou postar umas fotos pra vocês verem como dá pra ser feliz na neve, mesmo sem esquiar.

parques de farellones santiago chile (1)
Você pode curtir uma voltinha de telesilla
parques de farellones santiago chile (3)
…pegar um bronze tropical…
parques de farellones santiago chile (1)
…fazer um boneco esquisito, mas todo trabalhado nos acessórios dos seus pais…
tubing farellones santiago chile
…e até descer escorregando na neve de bóia (tubing). Obs: esses são meus pés enquanto sou rebocada de volta pra cima haha

Além disso, rola patinação no gelo, que eu esqueci de comentar ali em cima. Então, se você nunca viu neve e vem pra Santiago no inverno, não perca a chance, porque é uma delícia!

Deixo abaixo os links das três estações, com preços, datas e atividades disponíveis.

Novamente vou dizer, caso tenham qualquer dúvida, queiram alguma informação ou ajuda, podem deixar recado aqui, no face ou no insta, ok? Eu respondo rapidinho e também posso pensar em posts específicos sobre cada estação de esqui e respostas para cada dúvida.

Obs: isso não foi um monte de propaganda do Parques de Farellones. Eu já estive nas 3 e não esquiei, então só deixei minha opinião sincera pra quem quiser um programinha diferente na neve, beleza?

Beijos e até logo!

 

Puerto Varas: como chegar e onde dormir

Puerto Varas é uma cidadezinha no sul do Chile, mais precisamente na Región de los Lagos (ou VIII Región), a pouco mais de 1000 km “pra baixo” de Santiago, e foi o lugar que eu e meu irmão escolhemos pra passar o réveillon. Como passeamos bastante por lá e pelo alrededor, resolvi montar um pequeno guia do que a gente viu e do que eu acho que vale a pena visitar.

Puerto Varas 1 lago llanquihue

Esse primeiro post será sobre como chegar e onde se hospedar na cidade de Puerto Varas em si que, como vocês podem ver na foto acima, é linda demais *-*. A cidade está à beira do lago Llanquihue, com vista aos vulcões Osorno e Calbuco (esse aqui, que deu trabalho em abril de 2015).

Puerto varas vulcão calbuco lago llanquihue.JPG
Vulcão Calbuco
Puerto varas vulcão osorno lago llanquihue.JPG
Vulcão Osorno

Vamos lá. Primeiramente…

Como chegar em Puerto Varas?

Há duas possibilidades: Avião ou busão amigo.

Indo via aérea é necessário pegar um vôo até a cidade de Puerto Montt (as companhias aéreas que fazem esse trecho são a LAN e a SKY), que fica a 20 km de lá, e então tomar um táxi ou ônibus. Os ônibus de Puerto Montt a Puerto Varas saem mais ou menos a cada 20 min e custam MUITO barato (cerca 1000 pesos chilenos -6 reais aprox. em fev/2016 – acompanhe a cotação do peso chileno aqui ou aqui), porém há o deslocamento do aeroporto ao terminal, o que talvez acabe não valendo a pena, uma vez que os táxis cobram de 15 a 18 mil pesos (de 80 a 100 reais aprox.- fev/2016).

Ônibus Cruz del Sur
Busão amigo

Outra opção é pegar o busão amigo de Santiago direto a Puerto Varas, assim como eu fiz. Sim, são mais de 1000 km. Sim, isso dá umas 13h de viagem. Sim, é cansativo. Mas sim, valeu a pena e não me arrependi. Várias empresas fazem esse trajeto, mas as principais são Turbus e Cruz del Sur (no site Recorido você pode consultar outras empresas e valores). A última geralmente tem preços mais amigáveis e, por isso, foi a minha escolhida. Pagamos $ 25.000 CLP (pesos chilenos – 130 reais aprox. – fev 2016) cada passagem, com direito até a ‘comissário de bordo’ se certificando de que todos estavam confortáveis, felizes e quentinhos (com os cobertores fornecidos – mesmo esquema de avião) e, claro, bem alimentados de manhã (servem café e lanchinho). Vale dizer que nunca peguei ônibus de muito longas distâncias no Brasil, então não sei como funciona, mas aqui o serviço foi realmente muito bom.

Beleza, você conseguiu chegar. E agora?

Onde dormir em Puerto Varas?

Pesquisando no Booking.com você encontra diversas opções e valores de hospedagem em Puerto Varas, mas já adianto que os principais hotéis são meio salgados. Nós ficamos hospedados numa pousada que não está no booking, o Hostal Carla Minte, que foi indicado pela minha amiga e prof de espanhol (oi, Paula! Obrigada :D). Sinceramente, foi a melhor opção. Pagamos $ 40.000 (230 reais aprox – fev/2016) por noite num quarto duplo com café da manhã (delícia) incluído. A dona Carla, assim como muita gente na região dos lagos, é descendente de alemães e muito boazinha. A pousada tem poucos quartos e é super aconchegante, sem contar que está a uma quadra do lago Llanquihue e a 10 minutos de caminhada do centro de Puerto Varas (como referência, fica pouco atrás do Hotel Cumbres). Não precisa de mais nada.

Puerto varas hotel cumbres lago llanquihue
Vista da nossa janela (sim, esse é o Hotel Cumbres bem na frente do lago Llanquihue)
Hostal Carla Minte Puerto Varas
Frente da pousada (como sou cabeçuda, não tirei foto, aí peguei essa no TripAdvisor)

Bom, espero não ter me esquecido de nada. Em breve teremos posts sobre o que fazer e onde comer na cidade, além dos passeios turísticos, agências e preços. Hasta pronto! Que estén bien!

Obs: Mais informações na página da cidade.

Acompanhe a série de posts sobre a Região dos Lagos: