Chiloé: Ancud e Pinguineras de Puñihuil

Pra quem não sabe, na Região dos lagos há um conjunto de ilhas conhecido por Arquipélago de Chiloé, que é o maior arquipélago do Chile. É esse aqui ó:

Desse arquipélago, a ilha mais conhecida e turística é a Isla Grande de Chiloé que, como esperado, é essa maiorzona. A ilha é um tanto pitoresca e bem diferente de Puerto Varas e Puerto Montt, por exemplo, principalmente pela arquitetura. Chiloé é conhecida por ter muitas casas de palafita, especificamente na cidade de Castro.

Eu fui pra Puerto Varas já querendo conhecer Chiloé, por causa das palafitas e das pinguineras (sim, lá tem pinguins <3). Aí que, procurando passeios que nos levassem até lá, só estávamos encontrando coisas muito caras e muito demoradas, uma vez que a maioria dos tours chega até Castro (que fica bem no interior da ilha), e isso leva 4 horas de viagem aproximadamente. Quando já estava quase desistindo, conhecemos uns brasileiros (no ônibus indo pra Puerto Montt) que haviam feito um passeio com a empresa Sol del Sur, que levava até as pinguineras e custava somente $ 25000 CLP (cotação do peso aqui e aqui). O que eu fiz? Saí procurando na internet o site da agência, já que era feriado e a loja não estaria aberta. Lá encontrei um número de whatsapp, mandei uma mensagem sem muita esperança e, não só fui atendida, como MUITO bem atendida. Assim, marcamos o passeio para o dia seguinte, sábado, de manhã. Como no passeio ao vulcão Osorno, a agência foi buscar a gente na pousada. De lá, partimos pela Ruta 5 em direção ao município de Pargua para, então, podermos tomar um ferry para a ilha. A travessia é bem legal pois, mais uma vez, é possível avistar nossos amados amigos lobos marinhos, entre outros animais (tivemos sorte de ver duas toninhas passando – foi coisa de segundos, mas suficiente pra quase destruir meu coraçãozinho com seu fraco por animais marinhos haha).

chacao chiloe chile dizlu

Após a ‘travessia’, chegamos ao povoado de Chacao. Trata-se de um vilarejozinho muito belezinha, onde se pode conhecer a igreja e comprar algumas lembrancinhas, não muito mais que isso. O legal desse lugar é que é possível ver como a ‘cara’ das casas é diferente. São de madeira, pintadas em cores vibrantes e construídas com uma espécie de escamas de madeira que, segundo nosso guia, servem para proteger a casa de chuvas e ventos, além mantê-las frescas no verão.

forte de ancud chiloe chile dizlu

De Chacao, partimos para Ancud, onde se pode conhecer o Forte de San Antonio, construído em 1770 pelos espanhóis e local onde os mesmos perderam sua última batalha contra os chilenos em 1826. Lá encontramos um guia que nos explicou toda a história e importância de cada detalhe do local, pedindo somente uma gorjeta (muito justa) no final.

puñihuil chile chiloe dizlu

A 25km de Ancud está Puñihuil, onde ficam as famosas pinguineras único local no mundo onde é possível encontrar pinguins de Magalhães e de Humboldt convivendo no mesmo ecossistema, segundo nosso guia. As pinguineras são compostas por três pequenas ilhas (que eram uma única antes do terremoto de 1960) e são consideradas um monumento natural, que só pode ser visitado de barco, com guias autorizados e a uma certa distância. Sim, a vontade é ir lá pertinho e pegar eles no colo, mas não pode, obviamente para a preservação da fauna (imagina se todo mundo resolve querer se meter lá no meio, os coitados não iriam aguentar). O passeio de barco tem uma taxa de $ 7000 CLP se eu não me engano (desculpa, gente, eu não anotei esse valor e acabei esquecendo, mas é quase certeza, ok?).

Preparem-se para imagens fortes:

pinguineras de puñihuil chiloe chile dizlu (3)
Pinguins de Magalhães (ou Magallanes)
pinguineras de puñihuil chiloe chile dizlu (2)
Pinguins de Magalhães (ou Magallanes)
Pinguins de Humboldts
Pinguins de Humboldts

As pinguineras também abrigam uma grande variedade de outras aves como pelicanos, gaivotas e algumas espécies de patos, por exemplo.

pinguineras de puñihuil chiloe chile dizlu (6)

pinguineras de puñihuil chiloe chile dizlu (4)

pinguineras de puñihuil chiloe chile dizlu (5)

O guia que nos levou era bem simpático e divertido, e ainda achou fantástico eu saber falar espanhol sendo brasileira haha (¯\_(ツ)_/¯), então explicava tudo para mim e para o meu irmão, que sentamos bem na frente no barco. Resumindo, esse passeio a Chiloé é essencialmente focado em ver os pinguins. Você não pode chegar muito perto (nem pular pra abraçá-los, infelizmente), mas é incrível a diferença entre ver animais num zoológico e no seu habitat natural. É lindo, é mágico e, se você tiver oportunidade, simplesmente vá. Lembrando que esses passeios só ocorrem entre setembro e março, que é a época do ano que os pinguins visitam o Chile. Se alguém já visitou e quer acrescentar algo, ou tem alguma dúvida, deixe um comentário aqui que eu respondo todos, ok?

Um beijo, e não percam os outros posts da série sobre a Região dos Lagos. Infelizmente está acabando, mas ainda falta Frutillar :D.

Obs: antes de voltar a Puerto Varas, passamos novamente por Ancud no intuito de visitar museus e a igreja principal da cidade. A igreja é uma graça, mas os museus do Chile estavam todos em greve nessa época, aí né…fechados.

Leave a comment

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *