Rolê chileno – Terremoto

Sabe…desde que comecei o blog, mesmo com a intenção de só falar baboseiras abrir o coração conversar um pouco aqui, eu já queria aproveitar o espaço pra contar coisas interessantes que eu fosse conhecendo aqui no Chile. Só não achei que fosse começar justo pelo terremoto. Sim, meu povo, EU SOBREVIVI AO TERREMOTO!!! *momento aplausos fervorosos* Obrigada, obrigada! E, já que to aqui (depois explico onde e pq haha), resolvi escrever pra contar como foi o rolê todo.

Estava eu, calma (por increça que parível) e feliz no pc quando, de repente, o chão começou a tremer. Pensei “êta porra, ta chacoalhando essa budega!” e “bom, vamos esperar e ver no que dá”. Só que a porcaria toda só foi aumentando e eu resolvi arrancar meu aquecedor da tomada e ir abrir a porta pra ver o que estava rolando. Antes de qualquer coisa, vale dizer que é super comum ter tremores (ou temblores) aqui. Vide imagem abaixo (não precisa falar espanhol galera, bom senso basta. Se bem que acho que está mais fácil achar gente poliglota que com bom senso, mas paciência):

2w7pwti

Pois então, quando uma vez me perguntaram “mas Luiza, vem cá…o que você faz se o bagulho começar a tremer?”, eu disse “o óbvio, abro a porta do apê e vejo o que os chilenos estão fazendo…eles devem manjar dos paranauês…”. O que eu fiz quando começou a tremer? Abri a porta e olhei os chilenos. E o que os chilenos fizeram? Abriram as portas e ficaram se olhando!! Olha que coisa mais linda, minha gente! Ninguém fez poooorra nenhuma. Aí eu, em meio ao desespero e ao som de espelhos e quadros batendo na parede e madeiras rangindo, virei pra vizinhos q não conhecia e comecei a trocar ideia pq né, pelo menos distraía. Não sei muito bem o que eu falei mas deve ter saído um diálogo +- assim (assuma L como eu e V como algum vizinho qualquer):

L: E aí gente? Tudo certo? Tá tremendo essa merda né?

V: Puts, verdade…tá tremendo.

L: É que eu sou brasileira, nunca senti um tremor, to meio perdida. O que a gente faz agora? Espera?

V: Tipo isso, espera.

L: Hmmm. Esperemos então né.

E nesse meio tempo a COISA TODA CHACOALHAVA! Mas, na real, eu moro no DÉCIMO andar. Não tem pra onde correr e não, eu não deixei uma corda suficientemente longa na sacada pra descer de rapel. Aí beleza, depois dos 2 minutos mais longos da minha vida, “êpa! Parou!!”. Todas comemora, ri, quase se abraça, liga pros parente pra ver se ta todo mundo bem, os parente liga, o povo da empresa liga, todo mundo se diverte, a adrenalina toma conta do sangue e você já ta ligando pra sua família no Brasil gritando “caraaaaalhooooooo, vivi um terremotooooooo, bagulho doidoooooooooooo” e, antes mesmo de terminar a frase, o que acontece? O chão do seu apê vira gelatina de novo! E o que você faz? “AHHHHHHHHHHHHHH MEU DEUSSSS, DE NOVO NÃAAAAOOOO!!!!!!!! ME AJUUUUDA! NÃO ME LEEEEEEEEVA, SOU MUITO JOV…êpa..foi réplica suave hahaha como sou tonta…alô, pai? tremeu de novo mas noossa, super suussa, da nad…pera pai, ta tremendo…pai, vou desligar pq ah…vai que o pessoal da empresa liga né..hehe” e aí vem de novo…e com vontade, meu bem! Você só não se desespera no celular porque né, sua família não precisa infartar no Brasil assim de graça.

A essa altura do campeonato até o Jornal Nacional já falou do terremoto e, quando a chacoalhadeza toda pára, você só quer dar seu depoimento a TODAS AS PESSOAS QUE VOCÊ CONHECE! Aí os vizinhos que viveram com você todas essas atribulações te falam “Améegah, nós vamos sair. Se você quiser companhia pra descer, vamos com a gente, aí você fica la embaixo um pouco, é melhor” (porque já não se podia usar elevador – geralmente não tem energia – e eram 10 andares de escada sozinha). O que eu fiz? Desci com meus cólegas, óbvio. Eles “nossa, no Brasil não tem tremor?” “ãhn, não” “o que tem? tipo tsumani?” “ãhn, na verdade não tem nada dessas coisas amégah, no máximo umas chuvas bem fortes…por isso a gente morre de medo hehe” “ah entendi hehe”. Pausa para um comentário: Chilenos em geral MORREM de medo de tudo que tenha relação com chuva. O que se torna hilário considerando todas as catástrofes naturais desse país. Trovão? É um pré apocalipse. Juro. De verdade. HAHAHAHA COMO PODEEEEEE? Mas enfim, cada medroso na sua, eu tava morrendo com o terremoto com todo mundo, então não vou julgar os temores nem tremores de ninguém (baduntsss).

Por fim, descemos. Cheguei na recepção e já parecia uma quermece. Famílias com bebês, crianças correndo e trombando em geral, todo mundo querendo ouvir rádio/ler notícia/falar com parentes e amigos e etc. E ali (aqui) fiquei por mais de uma hora, quando o porteiro disse: “Galere, seguinte, vou liberar o elevador só pra subir. Vou com vocês, mas depois que subir todo mundo, desligo de novo e, se der ruim no meio da noite, só escada, fechou? Ah, durmam com as portas ABERTAS, não só destrancadas. Se dá um tremor mais forte as portas travam e aí complica, ok?”. Meu pensamento nesse momento: “Puts, porta aberta, amigo? Porta travando? E MAIS FORTE ainda? Você não está me acalmando assim, amigo!” E mais uma vez, esperei. Depois que subiu todo mundo quase e já não estava tremendo há mais de uma hora, subi com uma turminha. Entrei no apê ainda com as pernas bambas. Aí eu tremia e achava que era o apê, o apê tremia e eu achava que era eu mesma e assim foi. Enquanto gravava áudios contando a história pra meio mundo, a coisa começava a terremotear de novo e rolava uns “êpa…pera…ta tremendo de novo…ai meu Deus…chega, vai, por favor??!!..passou”. Depois de uns 2 ou 3 tremores razoáveis, falei “quer saber, já vi que não vou dormir mesmo…vou trocar de roupa e descer com tudo que eu preciso para sobreviver uma noite e ficar por lá até me sentir segura”. E aqui estou, na recepção, num frio do caramba. E por que? Porque eu sou medrosa mesmo! E a cada répliquinha que vem, eu agradeço por estar aqui embaixo hahaha. Na mochila botei tudo que eu tinha de eletrônico, documentos e dinheiro porque vai que…opa, tremendo de novo! Essa foi forte, portas batendo e tal. Pelo menos estou no térreo, perto da rua, qualquer coisa é só correr! (juro que tremeu de verdade num momento muito apropriado para o post hahaha).

E acho que é isso meu povo! Boa noite sem sono pra mim haha. E pra quem (como eu tinha) tem vontade de ver como é um terremoto, abandona essa ideia aí que é rolê errado. Eu falava que tinha curiosidade (e realmente a adrenalina rola, como comentei) mas não é nada legal essa porcaria de ficar voltando e voltando. O que eu aprendi sobre terremotos? Que a gente deve ficar perto da porta. E rezar. Não muito mais que isso. Anyway, histórias pra contar pelo menos haha.

Beijos!

Update 18/09: Fiquei na recepção até quase 3 da manhã. O último tremor forte foi esse que rolou enquanto eu escrevia o post haha (era +- 1:15 AM). Depois disso, subi e dormi no sofá, de roupa e tênis, com a porta aberta e minha mochila de emergência do lado haha. Hoje durante toda a manhã houve VÁRIOS tremores mas beeeem suavezinhos, então está tudo ok! haha

Obs: Pra quem tiver curiosidade, parece que foi um terremoto de magnitude 7.5 aqui em Santiago. Na costa do Chile passou de 8.3 e estão evacuando a área por alto risco de tsunami. Infelizmente, apesar das brincadeiras no meu texto, o terremoto foi realmente forte e houve mortos e feridos. Deixo abaixo links de reportagens com mais detalhes:

Em português:

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/09/forte-terremoto-chile.html

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/09/terremoto-no-chile-brasileiros-no-pais-relatam-correria-tremor.html?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=g1

http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2015/09/16/terremoto-de-magnitude-79-atinge-o-chile-internautas-brasileiros-relatam.htm

Em espanhol:

http://www.t13.cl/noticia/nacional/minuto-minuto-shoa-establece-alarma-tsunami-todo-borde-costero

http://www.biobiochile.cl/2015/09/16/minuto-a-minuto-victimas-danos-y-evacuacion-masiva-tras-terremoto-en-el-norte-de-chile.shtml

http://www.cnnchile.com/noticia/2015/09/16/gobierno-decreto-zona-de-catastrofe-tras-terremoto

3 thoughts on “Rolê chileno – Terremoto

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *